Que legal…


Anúncios

UMA CONQUISTA BRASILEIRA COM A MARCA CEARENSE


No dia 17 de agosto de 2011 o cearense Rosier Alexandre, diretor da TBC Consultoria, chegou ao cume da maior montanha
da Europa, o Monte Elbrus à 5.642m.

Segue abaixo relato da expedição:
O RETORNO

Depois de 18 dias longe de casa e da família e um desafio muito grande, estou a caminho do Brasil.
Devo chegar em Fortaleza, segunda 22 de agosto às 18h30.

A SAÚDE

Ainda estou em estado de recuperação, mas estou bem e em segurança, graças a Deus. Sofri um pequeno
congelamento facial que provocou uma leve hemorragia no olho direito, ocasionada por fortes rajadas de vento e com pequenas queimaduras no rosto, porém coisa que se recuperam em poucos dias, nada considerado o tamanho do desafio superado.

O ELBRUS E A FACE SUL

O Elbrus é uma das montanhas mais bonitas que já vi. Tem duas faces distintas, a mais conhecida e que recebe o
maior número de visitantes entre montanhistas e esquiadores é a Face Sul. Esta face, além de não ser muito íngreme, ainda oferece uma estrutura de apoio com dormitórios (Barrels Huts) e refeições prontas. Existe ainda transporte
motorizado, os snowcat (carro de neve) que vão até 4.650m. Toda esta estrutura de apoio, deixa menos de 1 mil metros para escalada e com relevo suave.

A SITUAÇÃO POLÍTICA DO ELBRUS

Existe atualmente um conflito com caráter terrorista na base da Face Sul, este conflito já provocou inclusive explosões de uma estação de eski e culminou com 4 mortes no início deste ano, o que fez com que o governo fechasse a base da montanha para evitar mais mortes e até uma catástrofe. O governo está tentando resolver o conflito, mas o caráter terrorista faz com que os manifestantes não apareçam e não divulguem as suas reivindicações. Os moradores locais acreditam que ainda seja influência da Geórgia, país vizinho. Atualmente a base da Face Sul está tomada por militares russos e com acesso fechado.

FACE NORTE DO ELBRUS

Esta face é o oposto da Face Sul, sem nenhuma facilidade, totalmente selvagem. Último local onde vai algum veículo é a 2.570m (base camp) e o seu campo avançado está a 3.570m (high camp), restando ainda uma parede de gelo com 1.892m de desnível, uma das maiores paredes de gelo do mundo, sem acampamentos intermediários. Do campo base ao cume, são mais de 3 mil metros de paredes verticais sem nenhuma estrutura de apoio.

A ESCALADA

Por conta do conflito na Face Sul, só me restou a Face Norte, um desafio tamanho grande que exige um condicionamento físico excelente e logística mais complexa. Cheguei ao base camp (2.750m) no dia 9 de agosto e após duas noites fui para o
high camp (3.750m). Depois de várias subidas e descidas, procedimentos de aclimatação, no dia 15 de agosto, e já bem aclimatado, estava pronto para o ataque ao cume e tive o privilégio de um convite para dormir dentro de um helicóptero russo que fez um pouso forçado em agosto de 2010 a 4.800m. Tudo parecia perfeito, a pernada de ataque ao cume ficaria em apenas 842m, o que aumentaria consideravelmente as chances de cume. Subi comemorando, porém a noite veio uma forte tempestade e na madrugada o vento soprava muito forte espalhando neve em todas as direções e não pude fazer o ataque ao cume e para piorar a situação veio uma ordem militar para sair do helicóptero, só me restou descer para o high camp na tarde do dia 16 e dar por encerrada a expedição, o clima venceu, e todo o planejamento não foi suficiente pra ir pro cume. Desci da forma mais triste possível, aclimatado, forte e bem condicionado, porém com tempo ruim e sem prazo para nova tentativa de ataque ao cume. Chegando ao campo base, preparei as mochilas para na manhã seguinte partir pro base camp. Apesar da tristeza e desolação, não queria considerar encerrada a expedição, cheguei a considerar adiar as passagens e iniciar uma nova empreitada. À noite rezei
agradecendo a Deus pela saúde e pela oportunidade de estar na montanha e pedi uma luz para aquela situação. Às 2h30 da manhã, quase que por um milagre, a tempestade cessou e surge um céu estrelado me convidando ao cume, era o sinal e
a luz que eu precisava. Porém para ainda considerar um possível ataque ao cume, eu teria que subir 1.892m até o cume e em seguida descer 3.072m até o base camp, um desafio sobre humano. Dois amigos toparam este desafio, só que o nosso guia
original não topou nos acompanhar, contratamos um novo guia às 3h e às 3h30 do dia 17 (quarta) estávamos iniciando a empreitada, apesar do cansaço da descida do dia anterior (16). Depois de enfrentar uma forte tempestade entre 3.500 e
4.000m, o tempo abriu de vez e após 9h30 de escalada, às 13h eu estava abrindo a bandeira cearense e a dos meus sagrados patrocinadores no cume da maior montanha da Europa. Cumprida mais uma etapa do Projeto Sete Cumes. A descida foi muito
cansativa até o high camp, porém o trecho para o base camp foi extremamente cansativo e ainda tive que fazê-lo à noite, porém, após tamanha conquista, qualquer preço é vale a pena.

O SUCESSO

Esta foi a expedição mais difícil que já fiz e por pouco não fui vencido pelo clima e outros contratempos. Graças a uma boa preparação física, eu pude aproveitar uma pequena janela de tempo e chegar ao cume. As oportunidades só aparecem para os
que estão preparados e ela me apareceu e eu agarrei de corpo e alma e o resultado foi surpreendente. Fiz um ataque muito difícil, com pequena chance de cume, porém com muita responsabilidade, eu estava fisicamente forte e bem aclimatado, graças a isso conseguimos o pleno sucesso. Junto comigo chegaram ao cume, Karina Oliani e Marcelo Rabelo, também brasileiros.

AGRADECIMENTOS

Obrigado aos meus patrocinadores que me proporcionaram condições de me preparar e realizar com sucesso mais uma etapa do
Projeto Sete Cumes. Obrigado aos familiares, amigos e colaboradores do Brasil e até de fora que vibram e torcem pelo sucesso deste projeto.

SONHOS

Continuem sonhando comigo, despertem os sonhos adormecidos. Sonhem, planejem, realizem, inspirem.

OS PATROCINADORES

EIM (www.eim.ind.br), DCDN (www.dcdn.com.br) , FIEC/SESI (www.sfiec.org.br), BSPAR (www.bsparincorporacoes.com.br), ESMALTEC (www.esmaltec.com.br) e AYO FITNESS CLUB (www.ayofitnessclub.com.br).

Após o meu retorno, terei uma semana de recuperação e já reiniciarei os treinamentos e preparação para a próxima etapa.

A todos um abraço de 5.642m.
Rosier Alexandre

Será : Uso de friends, ATC e fitas de escalada poderão ser proibidos no Brasil.


Matéria no altamontanha abre discurssão mais uma vez sobre Projeto de Lei que tenta controlar a prática do montanhismo no Brasil.

Isso se forem aprovada as emendas do Projeto de Lei (PL) 7288/10. Conheça os significados legais destas emendas e este projeto de lei, uma regulamentação sem precedentes no mundo.

O atual Projeto de Lei (PL) 7288 surgiu em 2005 no Senado (na época nomeada como PL 403) com o objetivo de regulamentar a venda e o uso de equipamentos de esporte de aventura, para que estes não fossem mal utilizados e que deste mal uso ocorressem acidentes.

Veja matéria na integra clicando aqui.

II Copa RN de Escalada Indoor – 2ª etapa.


Prezados amigos e associados da AERN.

A 1ª Etapa da II Copa RN de Escalada Indoor foi remarcada para o dia 10/set (sábado) e não mais no dia 7, por motivos de logística. Conforme decidido, será disputada na modalidade Boulder.

A copa será aberta para atletas de outros Estados, limitando o número de visitantes à 15 ou um máximo de
50 atletas competindo no total se houverem menos de 28 atletas da AERN na competição.

Anexo segue a regra do Ranking Norteriograndense de Escalada Esportiva 2011, em breve vou disponibilizar o regulamento completo da 1ª Etapa, mas adianto as regras maiores:

1 – A competição será dividida nas categorias Feminino Open, Masculino Intermediário e Masculino Open.
2 – Será Iniciada na modalidade Festival, com um mínimo de 10 e máximo de 15 problemas que podem ser tentadas por todos os atletas.
3 – Cada problema terá uma pontuação específica, e o atleta terá um determinado tempo para tentar cada um, podendo cair quantas vezes for necessário até cumprir o tempo da tentativa. Acumula os pontos do problema quem conseguir encadená-lo, não havendo distinção de pontos para problemas encadenados à vista.
4 – Nesta primeira etapa as agarras não serão exclusivas para o problema, será utilizado uma marcação colorida para identificar os problemas.
5 – No final do tempo pré-estabelecido pela organização sessarão as tentativas de todos os atletas e serão somados os pontos.
5.1 – A categoria Intermediário Masculino já será rankeada nessa fase, ou seja, os melhores pontuados já tem direito ao pódium,
salvo caso de empate nas 3 primeiras colocações.
5.2 – Os melhores colocados das categorias Open Masculino e Open Feminino irão disputar as finais na modalidade Rodadas.
6 – Para as rodadas finais serão montados um mínimo de 4 e máximo de 6 problemas que deverão ser escalados por todos os atletas, que passarão a ficar na zona de isolamento.
6.1 – Para as rodadas contará pontuação diferente para problemas resolvidos à vista e cadenas trabalhadas.
6.2 – O route-setter se reserva ao direito de colocar agarras bonus nos problemas, que darão pontos extras para os atletas que as utilizarem.
7 – Subirão ao pódium os 3 melhores colocados de cada categoria.

A premiação será troféu para os atletas que subirem ao pódium e diversão garantida para todos os que participarem do evento.

O valor das inscrições será : R$
15,00 para sócios AERN que estejam em dia com as semestralidades;
R$ 30,00 para os demais.

As inscrições podem ser feitas mediante preenchimento da Ficha de Inscrição anexa e envio da mesma + comprovante de depósito para o e-mail: mengerofstone@gmail.com, com cópia para jalonbm@yahoo.com.br.

Todos os atletas inscritos terão direito à camiseta do evento.

Local de Realização: CT Pium de Escalada Indoor.

Route-setters:
Menger of Stone e Carlos Teixeira Jr.

Divulguem.

Bons ventos,

Menger of Stone
Dir. Técnico AERN

Queime o seu mas não queime o montanhismo – Matéria altamontanha.com.br


Segue matéria do site www.altamontanha.com.br clique veja a matéria na integra :

Deixo claro que não consumo, jamais consumi porém de certa forma respeito
esportistas que optam em consumir drogas ilícitas. A intenção desta coluna não é
a de criticar ou discriminar o número cada vez mais crescente de escaladores de
rocha brasileiros que consomem cannabis, mas sim alertar sobre a imagem do
esporte que está sendo denegrida pelo alto de consumo de tal droga em locais
populares de escalada… clique e leia a matéria…